Pesquisar este blog

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Devolvam-me à mim


Joguei, um dia, uma moeda num lago qualquer, pensando ser o da sorte, fiz um pedido e me perdi, rezei, senti, chorei por nunca ter chorado antes com tanta emoção.
Peguei, um dia, uma gripe na alma, e sem entender tomei até analsésico e me resguardei, como dói. Estava logo ali, a cura, talvez, pros males que senti.
Tenho sentido ultimamente coisas tão estranhas, meio luz, meio sombra, cor, som, movimentos, arrepio! Não sei mais quem sou, às vezes penso não ser ninguém, talvez por ter me escondido por detrás de tantas coisas que me deram nome, não sou mais Glenda, sou hoje, Glenda de algum lugar ou de alguém, tenho nome, sobrenome e apelido. Acho que preciso de mim, mas coisas mau resolvidas me fazem retroceder, não sei explicar, tenho um desejo, mas ninguém consegue entender, me quero de volta, devolvam à mim eu mesma, me ame, deixe que eu seja tudo pra alguém, eu também amo, também choro, dou ridasa, rezo e desprezo a pena a dó.
Olhe pra mim Amor infiel, olhe como o amo e como o quero. Me queira amor infiel,me abrace, me sinta, te quero aqui, perto de mim. As vezes parece ácido, mas é doce, tanto quanto o mel das abelhas do Nepal, é sal, é fruto que se come vivo, tirado do pé nos pomares da minha infância, distância, calor, sabor.
NÃO se esconda de mim, por favor!

De novo a Hipocrisia


Em algum momento da minha vida, ai em baixo (podem procurar), escrevi algo sobre hipocrisia, defini segundo o Aurélio (pai dos burros?), com tudo que tinha direito e mais, QUE PENA!
É tão complexo o relacionamento entre as pessoas. Como se magoam e como gozam por isso, elas detestam a verdade, por que se revoltam tanto com isso? A resposta não está na definição do diconário ou em qualquer lugar teorico. Creio que as pessoas têm a necessidade, quase que fisiológica, de serem traídas, enganadas, passadas para atrás; não entendo, eu juro!
Estive conversando outro dia sobre a finalidade da vida, algumas pessoas, inconscientemente, devem pensar que a finalidade da vida é colecionar decepções, agora me explica, parece paradoxal, todos enchem a boca para dizer que o que mais querem é serem felizes. A hipocrisia está ai, todos gozam com a tristeza, com a angústia, com a merda da insatisfação. O que há com a humanidade? Está doente, está em crise!
Por que dizer a verdade é tão dificil e aceitá-la é pior ainda? Já percebeu como até você, é, você mesmo, ai sentado, lendo meu blog, tanta a todo custo dar uma floreadinha na verdade? Juro não entender o por que da seguinte situação: " Fulano falou que Ciclano disse, que Beltrano viu o Joãozinho roubar um pão." Mas ninguém pode comentar isso, é segredo. Risos. Todo mundo sabe, inclusive o Joãozinho, mas ninguém ousa comentar, e daí? Se for mentira tudo bem, se revolte, mas se for verdade você terá um bom motivo pra pensar em uma desculpa plausível o suficiente pra limpar sua barra. Como o mundo é hipócrita!
Ah! Como dói... Me perdoem, aliás, que Deus me perdoe. Amém!



Sinestesia



Fim do dia ou a melancolia?

Passo por entre pedras e folhas
Sem fazer barulho,
Me orgulho!
Sou fruto andante, porém, não obstante
Da correria e do caos, me embrulho
Em papéis e e rosas, gritante
Passo por entre casas e arbustos.
Sou simples, sou flor de laranjeira
Tem beleza e também cheira
Parece comum, mas não o ano todo
Rego e me recolho.
Não tem graça depois que passa
Dou risada de pilastra
Escultura ou monumento
Que perde a graça com o tempo
Se observo não entendo,
Se entendo não me prendo
Filosofia barata é o que me vendem
não tem lógica
Se é que me entendem!
Se devoro, não mastigo
Se mastigo, jogo fora
O sabor não tem beleza
Fim do dia ou a tristeza?